Legalização dos Jogos de Azar não trará benefícios ao país
4 de fevereiro de 2020
Para Sóstenes respeito e cuidados com idosos é princípio Cristão e dever de todos
27 de fevereiro de 2020

O Azar e a Lavagem de Dinheiro

Toda quarta-feira traremos motivos para que os jogos de Azar não seja legal no nosso País

Por que cassinos são considerados a melhor forma de lavar dinheiro?

A melhor forma de lavar dinheiro sempre foi POSSUIR negócios que trabalham com dinheiro “vivo” e Cassinos são considerados melhor negócios pra isso, pois não têm inventário de bens para manter e é fácil manipular os livros, a famosa contabilidade falsa.

Manipular os livros é FÁCIL com um cassino, e a SORTE pode explicar a maioria das discrepâncias.

É impressionante o quão fácil é misturar o dinheiro de um monte de pessoas e redistribuí-lo com um cassino. Não adianta ser contra a corrupção, a violência, a prostituição e ser a favor da legalização dos Jogos de Azar, pois simples consumidores de cassino AJUDAM a lavagem de dinheiro.

O uso de cassinos para lavagem de ativos por consumidores (clientes)

A atividade dos cassinos permite que criminosos, assumindo a posição de clientes do estabelecimento de jogo, lavem dinheiro sujo que detenham. Em relatório apresentado em 2009 dedicado a técnicas de lavagem executadas no setor de jogos e cassinos legais e com estrutura física, o GAFI (Grupo de Ação Financeira), órgão internacional mais atuante na prevenção e combate da lavagem, ressalta que os cassinos são reconhecidamente usados para reciclagem de dinheiro, mesmo em países com boa regulação.

Como agem:

  • Troca de dinheiro sujo por fichas
  • Compra de fichas de outros jogadores por um preço maior ;
  • Troca de dinheiro sujo, somado a algum prêmio ganho ou adquirido, por um cheque do cassino;
  • Uso de fichas como se fosse dinheiro em transações ilegais, como narcotráfico;
  • Falsificação de resultados de jogos com a cumplicidade de funcionário do cassino para justificar a acumulação de fichas ou créditos;
  • Compra de fichas com cartões de crédito, cujas faturas serão pagas posteriormente com o dinheiro sujo;

O uso do bingo para lavagem de ativos pelos empresários (proprietários)

A atividade dos Cassinos permite que criminosos, assumindo a posição de proprietários do estabelecimento de jogo, lavem dinheiro sujo que detenham. Com efeito, a criação de cassinos para lavagem de dinheiro, ou a associação com os seus donos para essa finalidade, é altamente atrativa para criminosos.

É bastante conhecido o método de lavagem consistente na simulação de lucro em empresas de propriedade de criminosos mediante prestação simulada de produtos ou serviços. Trata-se de injetar os recursos de origem ilícita em uma entidade legalmente organizada, com atuação aparentemente legal na venda de produtos ou prestação de serviços. O dinheiro sujo é contabilizado como faturamento (frio) ou lucro (fictício), podendo ser declarado às Receitas Federal e Estadual, pagando-se os respectivos tributos, o que faz desse método o oposto do “caixa 2”. Para encobrir o faturamento frio, podem ser compradas notas fiscais frias de matérias- primas de empresas legítimas, e podem ser expedidas notas de serviços ou vendas a consumidores, o que dificulta a produção de prova do crime.

Vai ser muito difícil PROVAR lavagem de dinheiro em um cassino diante da justiça.

Cassinos são ótimas maneiras de pagar PROPINA a políticos também.

Fiscalização – Os próprios órgãos que ficariam incumbidos do controle dos jogos de azar manifestaram publicamente a absoluta impossibilidade de fiscalizar essas atividades, como prevê os textos no Congresso. Durante discussão sobre projeto semelhante em 2007, autoridades do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), da Receita Federal e do Ministério da Fazenda concluíram que o Brasil não está estruturalmente e tecnicamente preparado para reduzir os riscos da atividade, tampouco realizar o efetivo controle sobre ela.

“Verifica-se que a enorme quantidade de bingos e cassinos cuja abertura é estimulada pelo PLS 186/2014 está em evidente descompasso com a realidade dos órgãos nacionais de controle, ainda que estes fossem dotados de estrutura de fiscalização de primeiro mundo”, alerta a nota técnica da Secretaria de Relações Institucionais.

Lavar dinheiro com pequenos riscos de identificação da atividade criminosa faz dos cassinos o sonho de qualquer lavador.

Compartilhe